Zika Vírus: sintomas, tratamentos e causas


COMPARTILHE AGORA MESMO
Avalie este post

O Zika Vírus se trata de um vírus transmitido pelos mosquitos Aedes Aegypti (responsável por transmitir a Dengue e Chikungunya) e Aedes Albopictus. As primeiras aparições do Zika Vírus começaram já no século passado, entretanto, somente no século 21 os casos mais relevantes e impactantes surgiram na sociedade. Atualmente o vírus está catalogado em aproximadamente 70 países.

Transmissão

A transmissão do vírus se dá através da picada do mosquito. O mosquito que se alimenta de sangue, pica alguém que esteja com o vírus e o transmite a outro indivíduo saudável.

O ciclo de transmissão ocorre da seguinte forma: o mosquito fêmeo deposita os ovos em água parada, que em poucas semanas irão se desenvolver e se tornarem mosquitos adultos. Quando o mosquito está adulto, vai procurar alimento e todo o processo de transmissão explicado anteriormente ocorre.

O mosquito é mais facilmente encontrado em regiões de clima tropical ou subtropical. Raramente o mosquito será encontrado em localidades onde a temperatura habitual é inferior a 16 ºC. Isso porque o calor e a umidade são fundamentais para a procriação do mosquito, necessitando de uma temperatura que fica por volta de 30 e 32 ºC.

O horário de pico de atuação do mosquito geralmente é pela manhã. Porém, é possível que o mosquito inicie suas atuações durante o dia também. Por se tratar de um mosquito que voa baixo, no máximo dois metros altura, ele ataca principalmente nos joelhos, pés ou panturrilhas.

Outras formas de transmissão

Além da picada do mosquito, existem outras formas de transmissão do Zika Vírus. A primeira delas é a transmissão de mãe para filha durante o período de gestação. A transmissão da mãe para o bebê é um dos principais responsáveis pelos casos de microcefalia.

A outra forma de transmissão do vírus se dá por meio do ato sexual. Caso você tenha relação sexual com alguém que esteja com o vírus, existe uma imensa possibilidade de você adquirir o vírus. Os estudos ainda estão em andamento e buscam indicar mais detalhes sobre essa forma de transmissão.

Existem outros meios de transmissão que ainda estão em estudos, tais como: transmissão por saliva, leite materno ou urina. O vírus está presente nesses fluídos corporais, porém ainda não existem estudos que comprovem a transmissão do vírus por esse meio.

Uma forma mais rara de transmissão, é a transmissão por transfusão ou algum meio do tipo. Embora raro, foram relatados diversos casos dessa natureza.

Sintomas do Zika Vírus

 

zika virus

Os sintomas do Zika Vírus são similares aos sintomas da dengue. Entretanto, os estudos apontam que cerca de 80% das pessoas vitimadas pelo vírus não apresentarão nenhum sintoma da doença. Em casos sintomáticos, os mesmo se manifestam cerca de 3 a 12 dias após a picada. Confira alguns dos sintomas mais comuns:

  • Febre baixa;
  • Dor nas articulações, especialmente dos membros inferiores;
  • Dor muscular;
  • Dor de cabeça e atrás dos olhos;
  • Erupções cutâneas e coceiras;

Alguns sintomas raros da doença são:

  • Dor abdominal;
  • Diarreia;
  • Constipação;
  • Fotofobia;
  • Pequenas úlceras na mucosa oral.

Os sintomas da doença não são de longa duração, podendo permanecer por 2 ou 7 dias.

Diagnóstico do Zika Vírus

O diagnóstico da doença se dá principalmente em iminência de epidemia da doença em local específico ou através de exames laboratoriais. Alguns exames que auxiliam no diagnóstico são:

  • Isolamento viral: uma das formas mais específicas que existe, consiste em isolar o vírus par análise.
  • RT-PCR: consiste em detectar do material genético do vírus;
  • Sorologia: cruzamento de informações da dengue com sintomas da febre amarela. Pode ser feita mesmo após o método RT-PCR.

Tratamento do Zika Vírus

O tratamento da doença é estritamente sintomático. Isso quer dizer que o tratamento se baseia em amenizar os sintomas da doença, uma vez que não existe um tratamento específico para o vírus. Dessa forma, o tratamento é somado às medidas profiláticas básicas de cada pessoa, como: uso de repelentes, evitar água parada, uso de telas na residência para impedir entrada do mosquito e muitos outros.

O uso da dipirona e do paracetamol são recomendados pelo Ministério da Saúde, uma vez que esses medicamentos ajudam a controlar a febre e a dor nas articulações. É indicado também que se beba muita água, uma vez que a desidratação pode agravar o quadro.

Os sintomas da doença costumam desaparecer após 4 ou 7 dias. Em casos de persistência dos sintomas, é indicado que você busque ajuda médica.

Complicações possíveis

Microcefalia e Zika Vírus

Um dos grandes malefícios trazidos à sociedade junto às epidemias do Zika Vírus, foram os diversos casos de microcefalia. No auge da epidemia, ainda não era possível se estabelecer uma correlação entre o vírus em gestantes e a má formação nos bebês.

Entretanto, com o passar do tempo e os avanços científicos acerca da epidemia do vírus, pode-se concluir que existe uma relação causal do Zika Vírus com os casos de microcefalia. Diante da situação, diversos foram os questionamentos acerca dos efeitos do vírus sobre o estado de gestação, tais como: até que período o vírus poderia afetar o bebê, em que proporção o vírus é transmitido da mãe para o filho e daí por diante.

Infelizmente, não existem estudos que apontem para uma cura da microcefalia de modo a reverter o caso das crianças que sofrem com deformidade. Entretanto, iniciou-se diversos tratamentos de modo a amenizarem os danos acarretados ao bebê e consequentes debilitações cognitivas e de desenvolvimento.

Prevenção

Como dito anteriormente, não existe uma cura para o Zika Vírus e toda a recuperação dos pacientes é focada em amenizar os sintomas. Entretanto, uma das maneiras mais eficazes em erradicar a epidemia, é evitando que o mosquito se multiplique. Pensando nisso, veja algumas atitudes que você pode adotar para evitar que o mosquito se multiplique e propague o vírus na sociedade:

Evite o acúmulo de água

A reprodução do mosquito Aedes Aegypti se dá estritamente em meio aquático. Isso quer dizer, que se você deixar água parada em qualquer local que propicie a reprodução do animal, esse local provavelmente será um criadouro dos mosquitos. Então, evitar o acúmulo de água é essencial para evitar que o mosquito se reproduza.

Coloque areia nos vasos das plantas

Diversos são os locais em que é possível acumular água e que passam despercebidos aos nossos olhos. Os vasos das plantas são um exemplo desses lugares que estão presente principalmente em residências. Então, se você possui plantas em casa, é essencial que você coloque areia nos vasos para evitar a água parada.

Coloque telas nas janelas

Outra maneira que você pode utilizar para impedir que o inseto invada o seu ambiente, é colocar tela nas janelas. Isso porque o mosquito atua principalmente durante a noite, então se você tem o costume de dormir com a janela aberta, pode ser uma vítima fácil para o mosquito. Então, coloque telas nas janelas para evitar que o mosquito adentre na sua casa.

Cuide dos lagos caseiros e aquários

Se você possui lagos caseiros e aquários, o risco de proliferação do mosquito é menor devido à presença dos peixes, entretanto, o cuidado deve ser redobrado com as piscinas que não são limpas com frequência.

Seja consciente com o seu lixo

Terrenos baldios abarrotados com lixos irregulares despejados pela população são locais propícios à reprodução do mosquito Aedes. Por isso, o despejo adequado do seu lixo é essencial para que você evite que o seu lixo seja um foco do mosquito e prejudique todos em volta.

Use repelentes

O uso de repelentes é mais um dos recursos importantíssimos que você não pode deixar de utilizar, principalmente se você é gestante. Isso porque com o repelente você fica protegido contra o mosquito, o que possibilita maior proteção inclusive nos momentos em que você está mais desprevenido. A frequência do uso do repelente vai variar de acordo com cada produto, então, antes de utilizar veja as especificações de cada produto e qual atende melhor às suas necessidades.

Use roupas protetoras

A utilização de roupas que protegem o seu corpo é fundamental para você não ser vitimado pelo vírus. Isso porque utilizando roupas que protegem o corpo, você evita que o mosquito pique você com maior facilidade.

Deixe uma resposta