Lúpus: sintomas, tratamentos e causas


COMPARTILHE AGORA MESMO
Avalie este post

O lúpus pode ser compreendido como uma doença inflamatória autoimune. A doença pode afetar o funcionamento de órgãos e tecidos, tais como: pele, articulações, rins, cérebro e demais órgãos. Dessa forma, os seus sintomas se manifestam no organismo como fadiga, febre e dor nas articulações.

O que são doenças autoimunes?

As doenças autoimunes podem ser concebidas como doenças que fazem o sistema imunológico do organismo atacar e destruir tecidos saudáveis do mesmo. O lúpus é uma das enfermidades que faz parte desse grupo de doenças.

lúpus

As causas das doenças autoimunes ainda não são conhecidas, porém, existem teorias acerca do assunto. A teoria mais aceita atualmente, é que a doença pode estar relacionada diretamente com a predisposição genética ou com o consumo de alguns medicamentos.

Parte dessas doenças autoimunes são crônicas, porém existem tratamento que possibilitam ter maior controle sobre a doença.

Tipos

O lúpus está dividido em três tipos distintos, são eles:

Lúpus discoide

Esse tipo de lúpus se manifesta como inflamações na pele. Isso traduz dizer, que a doença pode ser identificada a partir de inflamações avermelhadas no rosto, nuca ou couro cabeludo.

Lúpus sistêmico

Esse tipo da doença é o mais comum. Consiste na inflamação do organismo, comprometendo diversos órgãos ou sistemas do copo, incluindo a pele. A inflamação pode ser leve ou mais aguda, e até casos do lúpus discoide podem evoluir para o lúpus sistêmico. Os sintomas desse tipo da doença vão variar de acordo com a região afetada, como rins, coração, pulmões ou sangue.

Lúpus induzido por drogas

Esse tipo da doença se manifesta com o consumo de alguns medicamentos que podem causar os mesmos sintomas do lúpus sistêmico. Os sintomas costumam ser temporários e desaparecem assim que o consumo das drogas é interrompido.

Lúpus neonatal

O lúpus neonatal é uma forma mais rara da doença. Consiste em uma condição rara que afeta bebês de mães que sofrem da doença. O que ocorre é que a doença ataca o organismo da criança ainda no útero da mãe, dessa forma, a criança pode nascer com problemas na pele, fígado ou baixa contagem de células sanguíneas. Felizmente os sintomas desaparecem definitivamente após alguns meses.

Causas

O que causa a doença lúpus?

A doença se manifesta no organismo quando o sistema imunológico começa a atacar tecidos e órgãos saudáveis sem uma razão conhecida. Isso traduz dizer, quando não se tem estudos conclusivos que definam a causa do lúpus no organismo. Alguns estudos apontam para a combinação de alguns fatores, tais como genético, infecciosos, hormonais e ambientais.

Assim, os estudos apontam alguns fatores externos, presentes no ambiente, que podem contribuir para o desenvolvimento do comportamento anormal do sistema imunológico, tais como a luz solar, infecções e medicamentos.

Fatores de risco

O lúpus é uma doença sem restrições, isso quer dizer que qualquer pessoa está suscetível à doença independentemente de raça, cor ou etnia. Porém, um fato constado é que as mulheres são o maior alvo da doença. Conheça alguns dos fatores que podem contribuir para essa realidade:

  • Gênero: a doença se manifesta mais no público feminino do que no público masculino.
  • Idade: embora a doença possa se manifestar em públicos de todas as idades, a média faixa etária que apresenta maior número de casos da doença fica entre 15 e 40 anos.
  • Etnia: por motivos desconhecidos, a doença é mais comum em mulheres afro-americanas, hispânicas e asiáticas.

Sintomas do lúpus

Como dito anteriormente, os sintomas da doença vão depender de acordo com a região afetada, assim, os sintomas da doença podem se manifestar de maneira mais rápida ou lentamente. Os sintomas também podem ser moderados ou graves, temporários ou permanentes. Na maior parte dos casos os pacientes da doença apresentam sintomas moderados que surgem em crises da doença, que desaparecem após um leve agravamento.

Alguns dos sintomas mais comuns da doença são:

  • Desconforto no corpo (fadiga);
  • Febre;
  • Dores nas articulações;
  • Rigidez muscular e inchaços;
  • Rash cutâneo (vermelhidões que surgem no organismo, especialmente na face. É um dos sintomas mais comuns em quem sofre com o lúpus discoide);
  • Lesões na pele;
  • Dificuldade para respirar;
  • Dores no peito ao respirar profundamente;
  • Sensibilidade à luz do sol;
  • Dores de cabeça e perda de memória;
  • Linfonodos aumentados;
  • Queda de cabelo;
  • Feridas na boca;
  • Ansiedade;
  • Mal-estar

Outros sintomas podem se manifestar, porém tudo irá depender da região afetada pela doença. Alguns desses sintomas são:

  • Cérebro e sistema nervos: cefaleia, demência, formigamento, convulsões, problemas de visão e alteração de personalidade;
  • Trato digestivo: dores abdominais, náuseas e vômitos;
  • Coração: ritmo cardíaco alterado;
  • Pulmão: tosse com sangue e dificuldade para respirar:
  • Pele: coloração anormal da pele.

Qual o médico que cuida da doença lúpus?

Os especialistas que podem diagnosticar a doença são:

  • Clínico geral;

É de suma importância que você ajuda médica sempre que desconfiar da manifestação da doença em seu organismo. Para isso, é importante procurar um profissional da saúde que possa realizar exames mais eficazes que podem confirmar ou não a doença.

Por isso, ao se dirigir a um médico, tenha total ciência dos seus sintomas para facilitar todo o diagnóstico da doença. Da mesma forma, caso confirmada a doença, tire todas as informações sobre a enfermidade e seu caso específico.

Como diagnosticar o lúpus?

Por se tratar de uma doença com sintomas que variam de acordo com cada caso, se torna difícil diagnosticar a doença de maneira clara. Isso devido aos diversos sintomas sentidos que muitas vezes podem ser confundidos com sintomas de outras doenças.

Dessa forma, não existe um exame específico que seja capaz de diagnosticar a doença, o resultado conclusivo sobre a doença será a partir de exames de urina, sangue e sintomas sentidos. Outros exames podem ser solicitados também.

Tratamento do lúpus

Infelizmente não existe um tratamento que seja capaz de curar os pacientes que sofrem de lúpus. Dessa forma, o principal objetivo dos profissionais da saúde, é melhorar a qualidade de vida e controlar os sintomas de seus pacientes que sofrem com a doença.

Em casos em que a doença se manifesta de maneira mais amena, a mesma pode ser tratada com:

  • Anti-inflamatórios;
  • Protetor solar para as lesões na pele;
  • Corticoide para pequenas lesões cutâneas;
  • Droga antimalárica e corticoide de baixa dosagem para os sintomas na pele e de artrite.

Nos casos mais graves da doença, o tratamento é muito mais agressivo do que o convencional. Isso porque nesses casos, o paciente pode estar correndo risco de vida mediante anemias, sistema nervoso afetado pela doença, assim como pulmão e outras áreas do corpo. Nesses casos, o tratamento que pode ser recomendado pelo especialista é:

  • Dosagem em alta quantidade de corticoides ou medicamento que auxiliem na diminuição da resposta do sistema imunológico do organismo;
  • Uso de drogas que bloqueiam o crescimento celular (citotóxicas) quando os corticoides se mostrarem ineficazes, ou em casos de agravamento da doença. Esses medicamentos possuem efeitos colaterais graves, devido a isso é necessário um acompanhamento mais rígido do profissional.

Medicamento para Lúpus

Os medicamentos mais utilizados no tratamento da doença, são: analgésicos, anti-inflamatórios, corticoides, antimaláricos entre muitos outros. Alguns desses medicamentos são:

  • Androcortil;
  • Azatioprina;
  • Benevat;
  • Betatrinta;
  • Betnovate;
  • Betametasona;
  • Bi profenid;
  • Celestone;
  • Cetoprofeno;
  • Decadron;
  • Diprosan;
  • Duoflam;
  • Prednisolana;
  • Prednisona;
  • Predsim;

É importante lembrar, que somente um médico pode receitar qualquer um dos medicamentos citados acima. Assim, sob hipótese alguma se alto medique ou recomende qualquer um dos medicamentos a um paciente se orientação.

Lúpus tem cura?

Infelizmente ainda não existe uma cura para a doença, porém o tratamento disponibilizado hoje promove uma qualidade de vida aos seus pacientes de forma muito mais eficaz do que anos atrás.

Complicações possíveis

Se não tratado de maneira adequada, a doença pode acarretar uma série de complicações ao seu organismo, veja algumas delas:

Rins

Um dos principais responsáveis por morte de pacientes em um período de cinco anos, é a falência dos rins. Irritação, coceira, dores no peito, falta de ar e outros sintomas podem significar que a doença começou a afetar seus rins.

Cérebro

Alguns sintomas podem ser apresentados no seu organismo, tais como tontura, derrames cerebrais, tonturas e AVC. É importante que os sintomas vão muito além dos já citados.

Vasos sanguíneos

Uma das complicações nos vasos sanguíneos são a anemia, aumento do risco de sangramento e inflamação dos vasos.

Pulmões

Dores na respiração é um dos principais sintomas sentidos pelos pacientes que sofrem com a doença.

Coração

Podem ocorrer inflamações nos músculos e artérias do miocárdio, assim, as chances de ter algum problema de saúde relacionado às doenças cardiovasculares aumentam de maneira significativa.

Esses são alguns dos problemas relacionados à doença de lúpus, porém, existem outros problemas que podem ser desenvolvidos pela doença, tais como:

  • Infecções: por se tratar de uma doença que ataca fortemente o sistema imunológico, seja durante o tratamento ou durante a manifestação da doença, o organismo fica mais suscetível a algumas infecções, especialmente no trato urinário e respiratório.
  • Câncer:o desenvolvimento de tumores e/ou agravamento de tumores já existentes podem ser mais uma das consequências da doença.
  • Complicações na gravidez:é possível que mulheres que sofrem de lúpus podem engravidar e dar à luz ao bebê de forma saudável e tranquila, porém, a gestante deve estar realizando um tratamento adequado para garantir maior segurança na gravidez. Alguns agravantes da doença podem comprometer a gravidez, tais como problemas renais ou cardíacos.

Convivendo/ Prognóstico

Se você sobre com a doença, é de suma importância buscar o tratamento adequado. Assim como iniciar e manter um tratamento, é de suma importância realizar exames médicos regularmente para atestar a saúde dos órgãos, especialmente do coração, para evitar problemas cardiovasculares no futuro.

Algumas terapias também ser importantes para você aprender a lidar com a doença. A psicoterapia por exemplo, é uma terapia muito útil para auxiliar os pacientes depressivos e aqueles que sofrem com alteração de humor.

Existem alguns hábitos que você pode adotar para melhorar a sua qualidade de vida, como:

  • Descansar bastante é crucial para melhorar a qualidade de vida. Isso porque pacientes que sofrem a doença sentem-se mais cansados, e uma das melhores formar de combater esse sintoma é descansando.
  • Os cuidados com a exposição ao sol também são imprescindíveis. Sempre que for se expor aos raios ultravioletas, use ósculos de sol e filtro solar.
  • Praticar exercícios físicos é mais uma das dicas importantes para os pacientes da doença. Isso porque além de contribuir para o bem-estar, auxilia no combate à depressão e doenças cardiovasculares.
  • Adotar hábitos saudáveis é mais uma das dicas importantes para quem sofre com a doença. Isso traduz dizer, que hábitos do tabagismo por exemplo, devem ser evitados.
  • Mantenha sempre uma dieta balanceada e rica em cálcio, para evitar problemas como osteoporose.

É importante lembrar que a recuperação vai depender da situação de cada paciente, assim, existem casos onde haverá uma recuperação mais rápida, assim como casos onde haverá uma recuperação mais lenta.

Prevenção

Infelizmente ainda não existem métodos que possam prevenir a doença. Porém, a adoção de alguns hábitos, como se expor menos ao sol, podem ser uma boa alternativa. Outra informação importante, é buscar entender mais sobre a doença, e caso você já sofra com ela, buscar assistência psicológica também é fundamental para ter um tratamento de sucesso.

Deixe uma resposta