IMC: como calcular, veja tabela e descubra seu peso ideal


COMPARTILHE AGORA MESMO
Avalie este post

O IMC (Índice de Massa Corporal) é uma medida internacional para identificar os casos de obesidade ou desnutrição nos indivíduos, possibilitando assim detectar se o indivíduo está em seu peso ideal em relação a sua altura, idade, sexo entre outros.

Estar com o peso ideal é crucial para se ter uma vida mais saudável, isso porque nos casos onde o indivíduo se encontra abaixo do peso existe o risco de desnutrição ou AVC e infarto nos casos de sobrepeso. Devido a isso, é comum os profissionais da saúde solicitarem o IMC para identificar a possibilidade de pré-disposição para doenças do tipo.

O índice pode ser facilmente calculado fazendo uma correlação entre peso e altura ao quadrado. O IMC embora muito útil para identificar possíveis problemas de saúde, em casos de análise específicas pode ser falho, uma vez que existem outras variáveis que devem ser consideradas para se obter um diagnóstico mais preciso.

imc

Calcule seu IMC

O índice pode ser facilmente calculado, basta você multiplicar a sua altura por ela mesma, e dividir o seu peso pelo resultado encontrado na multiplicação da altura. Observe o exemplo:

  • Multiplicar a altura por ela mesmo: 1,80 x 1,80 = 3,24
  • Dividir o seu peso pelo resultado obtido: 72 / 3,24 = 21

Feito isso, observa-se que o IMC do exemplo acima é de 21.

Resultados do IMC

Observe os resultados que podem ser encontrados no IMC:

  • Nos casos onde o IMC é menor que 18,5, o indivíduo está abaixo do peso.
  • Os resultados onde o IMC fica entre 18,5 e 24,9, o peso está normal.
  • Quando o resultado do IMC fica entre 25 e 29,9, o indivíduo está com sobrepeso.
  • Os resultados de IMC entre 30 e 34,9, é caracterizado como obesidade grau 1.
  • Nos casos de IMC entre 35 e 39,9, é caracterizado obesidade grau 2.
  • Nos índices superiores a 40, é caracterizado obesidade grau 3.

Abaixo do Peso

Estar abaixo do peso, é uma condição onde o indivíduo está com o peso abaixo do ideal. Nesses casos, o emagrecimento pode estar sendo causado por alguma doença ou nutrição pobre nos nutrientes essenciais para as necessidades do organismo, tais como: vitaminas, sais minerais, proteínas ou gorduras.

É importante saber, que a perda de peso também pode estar relacionada a transtornos alimentares, tais como: anorexia ou bulimia nervosa. O estresse e a ansiedade também podem causar a perda de peso. Confira alguns dos sintomas sentidos por quem está abaixo do peso:

  • Unhas e cabelos enfraquecidos
  • Pele seca
  • Dificuldade em manter a concentração
  • Esquecimento
  • Exaustão
  • Irritabilidade
  • Perda de apetite
  • Dores de cabeça
  • Sensação de desmaio

Nesses casos, é necessário o ganho de peso, de maneira saudável, para o fortalecimento do organismo e necessidades básicas do mesmo. É importante ressaltar, que embora seja necessário ganhar calorias, é importante que isso seja feito de maneira adequada para não proporcionar uma dieta pobre nos nutrientes cruciais para o bom funcionamento do corpo. Confira algumas sugestões que podem auxiliar durante o processo:

  • Ingerir alimentos ricos em proteínas é fundamental para ganhar massa de maneira saudável e equilibrada. Alguns alimentos como carnes, de preferência as magras, carne de frango, peixe, ovos e queijos e leite, são alimentos ricos em proteína.
  • Os grãos são outros alimentos que vão te ajudar durante esse processo, isso porque os grãos são ricos em gorduras boas. Então, consuma: nozes, amendoim, avelã e outros grãos.
  • Consuma em maior quantidade massas em geral, como: pães, bolos, mandiocas. Isso vale para os cereais também como: arroz, aveia e fubá.
  • Evite ingerir alimentos low carb, ou seja, alimentos com baixo teor de carboidratos.

Peso Normal

Estar dentro do peso normal, significa que o IMC está entre o 18,5 ou 24, ou seja, o peso ideal para a sua necessidade. É importante lembrar, que antes de se analisar o índice de maneira individual devem ser levados em consideração alguns parâmetros para se ter um resultado mais assertivo, como: composição corporal, presença de doenças, peso e etc… Outra informação importante, é que para se manter dentro do peso ideal, é crucial manter uma alimentação com os alimentos corretos, e em quantidades corretas. Confira algumas das dicas para manter um estilo de vida mais saudável:

  • Sempre busque diversificar ao máximo seu cardápio, uma vez que não existe um alimento que supra todas as nossas necessidades. Dessa forma, é crucial manter uma rotina alimentar rica na diversidade de alimentos, assim se garantirá que você consuma todas as vitaminas que necessita.
  • Tenha uma rotina alimentar
  • Pratique atividades físicas
  • Durma sempre o necessário
  • Consuma muita água, pelo menos 2 litros por dia.

Sobrepeso

O sobrepeso é uma condição onde o peso do organismo está inadequado para as suas necessidades, existindo assim um excesso de calorias que contribuem para um estilo de vida pouco saudável. Um dos principais fatores que contribuem para o sobrepeso, é o sedentarismo, onde a maior parte dos indivíduos devido à falta de atividades físicas ganham calorias de maneira desmedida. Tal ganho, permite o organismo desenvolver doenças como diabetes, hipertensão, entre muitas outras.

O ideal, é procurar um especialista na área para avaliar as suas necessidades de maneira assertiva e providenciar dietas e um estilo de vida que possibilite o emagrecimento de maneira saudável.

Obesidades graus (1, 2 e 3)

Embora muitos pensem, a obesidade não é definida somente com o IMC. Para se identificar se alguém está com algum tipo de obesidade, é necessário analisar outros aspectos importantes para o diagnóstico, como: peso, estatura, espessura da dobra cutânea (no bíceps, tríceps, subescapular). Então, quando confirmado o índice de gordura corporal, é possível identificar se o paciente está obeso e qual o tipo de obesidade. Confira os tipos de obesidade:

Obesidade grau 1: Nesse primeiro tipo da doença, o tratamento é realizado através de dieta de emagrecimento associada às atividades físicas, que tenham sido autorizadas pelo médico e que sejam sempre acompanhadas por um profissional da educação física, para evitar qualquer lesão ao organismo.

Outra opção para a obesidade do tipo 1, é a redução bariátrica, especialmente nos pacientes que portam alguma doença que agravam o estado de obesidade. Porém é válido lembrar, que a bariátrica é vista como último recurso nesses casos, que sempre priorizam os meios primários do tratamento.

Obesidade grau 2: Nos casos de obesidade de grau 2, os riscos à saúde se mostram mais acentuados, tornando o paciente mais suscetível às doenças como: diabetes, infarto, acidente vascular cerebral, cânceres hipertensão, síndrome metabólica entre muitos outros.

A reversão desse quadro se dá com a mudança do estilo de vida em todos os aspectos, desde hábitos alimentares até o sedentarismo. É importante durante esse processo o acompanhamento multiprofissional para tornar o mais rápido e tranquilo possível essa jornada em busca do peso ideal.

Assim como na obesidade de grau 1, na obesidade grau 2 a redução bariátrica é recomendada somente nos casos onde os meios convencionais de combate à obesidade não são eficazes. Dessa forma, sempre será priorizada os meios mais brandos e menos agressivos o organismo.

Obesidade grau 3: Os males associados à obesidade de grau 3 são: hipertensão, diabetes, morte súbita, osteoporose, insuficiência venosa e muitos outros. De acordo com a OMS, se trata da maior responsável por mortes plenamente evitáveis em todo o mundo.

Nesses casos, a reeducação alimentar unida às atividades físicas se mostram mais eficazes durante o processo de perda de peso. Porém é importante lembrar, que devido a obesidade, muitos pacientes não conseguem ou mostram dificuldade extrema para realizar atividades físicas.

Em casos mais extremos como esses, os pacientes podem optar por fazer a cirurgia bariátrica, como forma de acelerar o processo de emagrecimento e viabilizar a utilização de meios primários para a perda de peso.

O IMC não está sempre certo

Infelizmente o cálculo do IMC não é um cálculo preciso, uma vez que ele considera outros aspectos que influenciam diretamente o resultado final. Por exemplo, pessoas que tem grande quantidade de massa muscular, consequentemente terão um IMC mais elevado, pelo fato de músculos pesarem mais que gorduras, dessa forma, o cálculo peca. Então, confira outros índices que auxiliam na identificação do peso ideal de forma mais assertiva:

  • Medidas antropométricas: Essas medidas possibilitam medir a circunferência e quantidade de gorduras nos braços, pernas e tronco, possibilitando assim identificar onde se concentra a maior parte da gordura.
  • Bioimpedância:Uma leve carga elétrica é disparada pelo corpo, permitindo assim identificar a quantidade de água que existe no organismo, assim como músculos e massa gorda.
  • Circunferência abdominal:Com essa medida, é possível avaliar a quantidade de gordura visceral do paciente. Se trata da mais perigosa e responsável por aumentar as chances de doenças como: diabetes, colesterol e hipertensão.

Atividade física

A atividade física é fundamental para se ter um estilo de vida mais saudável e é uma grande aliada especialmente daqueles que desejam perder peso ou ter um estilo de vida mais saudável. Nos casos de sobrepeso e obesidade, o exercício físico é ainda mais recomendado e crucial para o processo de emagrecimento do paciente.

É importante ressaltar, que a atividade física sempre seja acompanhada por um profissional da área para evitar qualquer tipo de má postura durante os exercícios que possam causar algum dano ao organismo. Confira algumas dicas para a prática saudável dos exercícios físicos:

  • Atenção à execução dos exercícios físicos;
  • Inicie com cargas correspondentes ao seu preparo, como pesos mais leves ou o próprio peso corporal;
  • Tenha sempre por perto um profissional da área para te auxiliar;
  • Faça exercícios físicos com frequência.

IMC para crianças

Os índices vão variar de acordo com a faixa etária de cada criança e sexo. Para ter uma resposta mais assertiva é recomendável procurar a orientação médica. Caso você queira, também é possível ter acesso a uma tabela com os índices ideais, disponibilizada pela Organização Mundial da Saúde.

IMC para idosos

As características de peso ideal se modificam ao longo dos anos, assim, quando se chega na terceira idade, os índices de massa corporal passam a ter seus valores alterados. Confira os dados:

  • Idosos com IMC abaixo de 22, estão abaixo do peso;
  • Idoso com IMC entre 22 e 27, estão no peso ideal;
  • Idosos com IMC acima de 27, estão obesos.

Deixe uma resposta