Herpes genital: o que é, tipos, sintomas, tratamentos e muito mais


COMPARTILHE AGORA MESMO

O que é Herpes Genital?

A Herpes Genital é uma doença sexualmente transmissível (DST), ou seja, o seu contágio se dá através do ato sexual. A doença é causada pelo vírus herpes simples (HSV), o qual é responsável por provocar lesões na pele e mucosas da região genital de homens e mulheres. O vírus fica localizado em terminações nervosas, sendo assim, é um vírus que dificilmente será eliminado, uma vez que o sistema imunológico não consegue acessá-lo.

Entretanto, a doença também pode ser contraída sem qualquer tipo de ato sexual, sendo a variação mais simples da doença onde a sua contaminação se dá principalmente pelo contato da saliva de pessoa infectada com a região facial de um possível hospedeiro.

Tipos de Herpes Genital

herpes genital

O vírus da herpes pode surgir no organismo de homens e mulheres de duas maneiras diferentes. Conheça as duas variações da doença:

Vírus da herpes simples tipo 1 (HSV-1)

Esse é o tipo mais comum do vírus, geralmente responsável por atacar a região facial, incluindo lábios, olhos e boca. É uma forma mais comum do vírus por se ser mais comumente contraído na infância, através da saliva que muitas vezes é transmitida através do beijo de pessoas infectadas à bebês. Esse tipo de herpes é responsável por causar ferimentos nos lábios, boca e irritações nos olhos, como a conjuntivite. Na região oral, é comum o surgimento de aftas e demais lesões, tanto na parte interna como na parte externa. Em casos mais raros, é possível que o vírus traga danos ao cérebro também, atacando o revestimento do cérebro causando a meningoencefalite.

Vírus da herpes simples 2 (HSV-2)

Esse é o tipo da doença o qual é transmitido através do ato sexual, o qual se localiza nas terminações nervosas da região genital de homens e mulheres. Esse tipo da doença pode manifestar sintomas no hospedeiro, gerando lesões na região afetada, como: coceiras, bolhas, úlceras e feridas. Entretanto, a doença pode permanecer no organismo do hospedeiro sem manifestar qualquer tipo de sintoma, sendo assim, uma doença latente. É possível que ocorra uma troca entre as contaminações entre os dois tipos da doença, ou seja, é possível que o hospedeiro adquira a herpes tipo dois na região facial e a herpes simples na região genital.

Causas

As transmissões do vírus causador da Herpes Genital se dá principalmente através do ato sexual sem proteção, porém, não é o único meio de contaminação dos hospedeiros. Em casos de transmissão da doença via ato sexual, o vírus pode ser transmitido através do contato entre a pele saudável e a região infectada pelo vírus, especialmente em casos onde existe lesões, bolhas ou úlceras na região afetada.

Porém, é possível também que a doença seja transmitida mesmo que não esteja em uma crise ativa, ou seja, mesmo que não esteja manifestando nenhum sintoma no organismo do hospedeiro, o que muitas vezes ocorre quando nem o próprio infectado sabe que possui a doença. Além da transmissão através do sexo, é possível que a doença seja adquirida através da saliva do infectado com uma pessoa saudável, ou o contato dos fluidos vaginais de alguém infectado com alguém saudável.

Como dito anteriormente, a doença pode manifestar seus sintomas no organismo, porém também pode ser latente. Devido a isso, é comum a transmissão da doença de forma desordenada por pessoas que não sabem que possuem o vírus. Isso pode estar associado à promiscuidade, onde a pessoa possui mais de um parceiro sexual, ou manter relações sexuais sem camisinha.

Sintomas de Herpes Genital

É comum que pessoas que tenham contraído a doença nem sequer saibam que possuem a doença, uma vez que não é raro a doença permanecer latente no organismo dos hospedeiros. Mas, mesmo assim ainda é possível que alguns sintomas sejam apresentados, confira alguns dos mais comuns:

  • Desconforto e dores na região afetada, que podem surgir entre um período de 2 a 10 dias após do contágio da doença;
  • Surgimento de manchas vermelhas ou minúsculas bolhas esbranquiçadas na região contaminada;
  • Aparição de úlceras na região, o que causa grande desconforto e fortes dores ao urinar. Nesses casos, é comum sangramentos;
  • Febre;
  • Mal-estar generalizado;
  • Redução de apetite;
  • Dores musculares;
  • Dor ao urinar;
  • Fadiga;
  • Estresse físico ou emocional.

Exames

herpes genital

Os exames são imprescindíveis para um diagnóstico mais assertivo e claro da sua situação. Nesses casos, apenas um exame poderá comprovar a presença da doença no seu organismo, porém ainda é possível que mais exames sejam solicitados. Alguns dos exames que podem ser solicitados são:

Cultura de vírus

Um exame bem simples e assertivo. Nesse exame, será coletada uma pequena amostra da região afetada, onde serão realizadas análises com o intuito de identificar qual o vírus presente na região. Se constatado que o vírus presente é o correspondente à Herpes Genital, será diagnosticada a doença.

Exame de sangue

O exame de sangue é simples e rápido. Ele consiste basicamente na coleta do sangue e análise no mesmo, para identificar se houve a presença de anticorpos contra o vírus causador da herpes. Se identificado a presença desses anticorpos, significa que o paciente está contaminado com a doença.

Tratamento

Infelizmente anda não existe cura para a Herpes Genital, nesse sentido, o tratamento contra a doença se baseia estreitamente na redução das crises da doença no organismo dos infectados e na melhora da qualidade de vida dos mesmos. O tratamento é baseado em antivirais, que ajudam o organismo a diminuir a incidência das crises da Herpes Genital, assim como acelerar a cicatrização das feridas causadas pela doença.

Em casos de gestantes que sofrem com a doença, o tratamento pode ser iniciado a partir do último mês de gestação do bebê, para evitar que crises da doença ocorram durante o parto. Em casos de surgimento de crises da doença na hora do parto, a cesariana é a melhor opção para evitar que o bebê seja infectado.

Deixe uma resposta