Febre amarela: sintomas, transmissão e tratamentos


COMPARTILHE AGORA MESMO
Avalie este post

A febre amarela é uma doença infecciosa, causada por um vírus e transmitida por mosquitos vetores. A doença possui dois ciclos de transmissão: o silvestre, quando a transmissão ocorre em florestas ou regiões rurais, e o urbano. O vírus é transmitido pela picada do mosquito, sendo impossível a transmissão do mesmo de pessoa para pessoa.

Os sintomas da doença não costumam se manifestar, ou se manifestam de maneira muito sutil no infectado. Porém, a doença também possui uma forma mais agressiva que ataca o organismo de maneira mais severa, onde ocorrem insuficiências renais e hepáticas, hemorragias e outros sintomas mais agudos da doença.

Casos de Febre Amarela 2017/2018

febre amarela

O ano de 2017 foi protagonista de um dos maiores aumentos dos casos de febre amarela. No estado de Minas Gerais, foram contabilizados um total de 415 casos da doença em sua forma silvestre, onde 130 deles levaram os pacientes a óbito. No estado de São Paulo, foram identificados 120 casos da enfermidade. No estado carioca, Rio de Janeiro, ocorreram 49 óbitos devido à febre amarela silvestre até o ano de 2018. E na capital brasileira, Brasília, foi identificado 1 caso de morte causada pela doença.

Dose fracionada da doença

Diante da situação do crescimento dos casos de febre amarela, o Ministério da Saúde iniciou a vacinação da população com doses fracionadas da vacina. Em conformidade com a Organização Mundial da Saúde, a dose completa da vacina garante imunização por toda a vida, enquanto a dose fracionada tem um período útil de 9 anos.

A utilização de doses fracionadas da vacina já está em vigor em países como a Angola, e ganhou notoriedade após avaliação da Comissão Nacional de Imunização, devido a sua eficácia.

Aedes aegypti

O mosquito Aedes aegypti é um vetor de doenças como: febre amarela, zika, dengue e chikungunya. Originário do continente africano, o transmissor de doenças foi disseminado no Brasil de forma passiva pelo homem, assim acredita-se que ele tenha chegado ao país através dos navios negreiros utilizados no período escravocrata.

Como a febre amarela é transmitida?

Como dito anteriormente, existem dois ciclos de transmissão da doença, a silvestre e a urbana. Conheça a diferença entre os dois ciclos.

Febre amarela silvestre:Na febre amarela silvestre, os hospedeiros da doença são os macacos. No meio silvestre, o vírus é transmitido pelos mosquitos Haemagogus e Sabethes, e pode contaminar macacos e seres humanos que estejam no ambiente. Os vetores são de hábitos diurnos e estão presentes principalmente em áreas de matas e cerrados, geralmente ocupando áreas próximas ao solo ou copa das árvores. Os mosquitos, uma vez infectados se tornam transmissores vitalícios da doença, iniciando o ciclo de transmissão do vírus entre macaco, mosquito e seres humanos.

Febre amarela urbana:Em sua forma urbana, a febre amarela é transmitida pelo vírus Aedes aegypti. O seu ambiente geralmente são regiões onde existe água parada, onde o vetor pode se reproduzir, e o seu período de atuação é geralmente entre o início da manhã e o final da tarde. Nessa forma da doença, os macacos não fazem parte do ciclo de transmissão, assim o ser humano é o único hospedeiro do vírus. Dessa forma, o ciclo de transmissão da doença, inicia-se quando o mosquito pica alguém que tenha a doença e transmite a mesma a um indivíduo saudável.

É válido lembrar também, que embora as formas de transmissão vareiem de acordo com o ambiente, os sintomas das doenças são absolutamente idênticos.

Macacos podem transmitir a febre amarela?

febre amarela

Assim como os seres humanos, os macacos também são hospedeiros do vírus causador da febre amarela, diferenciando-se apenas na forma da doença, que se dá em meio silvestre.

Assim, é importante saber que assim como o ser humano, o macaco também não transmite a doença para outros macacos ou seres humanos, uma vez que a transmissão ocorre exclusivamente através dos mosquitos Aedes aegypti, nas regiões urbanas, e Haemagogus e Sabethes em meio silvestre.

Em contraposição, o papel dos primatas é fundamental para identificar as áreas onde existem surtos da doença, possibilitando assim identificar com maior facilidade áreas onde existe o risco de disseminação da doença.

Fatores de risco

O risco de contrair a doença aumenta quando o indivíduo vive ou visita regiões onde existe um surto da doença, embora sutil. Nos casos dos indivíduos não vacinados, o risco é dobrado, sendo assim necessário a vacinação antes de se deslocar para regiões onde existe a possibilidade de surto da doença. Outro fator de risco, são os idosos com idade superior a 60 anos ou pessoas com imunidade baixa devido a AIDS/HIV.

Sintomas da febre amarela

Os sintomas da doença podem variar muito, muitas vezes sendo confundido com uma virosa, nos casos mais fracos da doença. Confira então alguns dos sintomas:

  • Febre repentina;
  • Calafrios;
  • Intensa dor de cabeça;
  • Dores musculares, principalmente na região das costas;
  • Náuseas e vômitos;
  • Fadiga e fraqueza.

Em alguns casos, os sintomas da doença demoram um período de até 24 horas para se manifestar, nessas circunstâncias, os infectados desenvolvem uma forma mais aguda da enfermidade onde após um breve período de melhora a doença volta a se manifestar atacando órgãos e apresentando outros sintomas como: urina escura, icterícia e outros. Porém essa forma mais grave representa somente 15% de todos os casos. Alguns sintomas dessa forma da doença são:

  • Febre alta
  • Dores abdominais
  • Hemorragias

Buscando ajuda médica

É fundamental buscar ajuda médica quando se sente os sintomas da febre amarela, uma vez que somente nas unidades de saúde é possível fazer um diagnóstico da doença e controlar o quadro de evolução da enfermidade.

Também é preferível buscar ajuda médica quando se deseja viajar para regiões onde pode existir o risco de contaminação da doença. Nas unidades de saúde, o indivíduo pode tomar a vacina e evitar qualquer contratempo durante a viajem.

Na consulta médica

Os profissionais da saúde que podem realizar o diagnóstico da doença, são:

  • Clínico geral;
  • Infectologista

É importante você estar ciente dos sintomas que está sentindo e ter consigo outras informações relevantes na hora da consulta, como:

  • Uma lista com os sintomas sentidos e há quanto tempo eles surgiram;
  • Histórico médico

Como parte da consulta, é evidente que o profissional necessitará fazer algumas perguntas para tentar identificar da maneira mais assertiva o possível problema de saúde do paciente, como:

  • Quais os sintomas sentidos pelo paciente e há quanto tempo eles surgiram?
  • Os sintomas parecem melhorar ou piorar?
  • Foi realizado alguma viagem para o exterior recentemente?
  • O cartão de vacinas está atualizado?
  • O paciente está realizando algum tratamento médico?

Outra parte importante da consulta, é o paciente sanar todas as suas dúvidas acerca dos sintomas que vem sentindo. Isso permite ter maior clareza do seu quadro e também obter informações relevantes para a recuperação.

Diagnóstico da doença

O diagnóstico leva em consideração diversos fatores para se ter a confirmação da doença, como: os sintomas apresentados, região onde se vive ou que se tenha visitado, se o indivíduo já foi vacinado contra a doença ou se presenciou casos da doença próximo à sua localização.

Porém, é importante evidenciar que o diagnóstico preciso da enfermidade só pode ser confirmado após exame laboratorial. Caso seja comprovado a existência da doença, a única medida profilática contra o vírus é a vacinação da população que reside ou que esteve em áreas com risco de contaminação.

Tratamento da febre amarela

Não existe um tratamento específico para a doença, o que ocorre é um acompanhamento do paciente em ambiente hospitalar para evitar quadros mais graves da doença.

O que é feito nesses casos, é somente um tratamento de suporte, que consiste em manter o paciente hidratado, introduzir drogas para controlar a pressão arterial, corrigir possíveis desequilíbrios do metabolismo e aliviar os sintomas da doença. Nos casos mais graves, os pacientes ficam na UTI para a reposição de sangue perdido devido às hemorragias, hemodiálise e controle de demais complicações no quadro do paciente.

Febre amarela tem cura?

A maior parte dos casos da doença não se manifestam nos hospedeiros de maneira aguda, por assim ser, costumam ser assintomáticas. Nessas circunstâncias em alguns dias é possível estar recuperado da doença.

Em alguns casos onde a enfermidade se manifesta de maneira mais agressiva, os infectados podem sentir uma fadiga ou fraqueza, sintomas esses que podem durar durante meses. E nos casos onde a doença se mostra mais agressiva, com sintomas mais agudos, existe um maior risco de o paciente vir a óbito, porém esses casos extremos representam apenas uma pequena parcela dos casos mais graves.

Complicações possíveis

Nos casos mais extremos da doença, cerca de 20% a 50% dos pacientes não resistem a enfermidade, que apresenta sintomas como insuficiência renal e hepática, icterícia, delírio e coma.

Os pacientes que sobrevivem à infecção recuperam-se gradualmente ao longo dos meses. Durante o período de recuperação, é possível que os pacientes sintam fadiga e icterícia. Outras complicações mais graves que podem surgir são infecções bacterianas como: pneumonia ou infecções sanguíneas.

Convivendo/Prognóstico

As pessoas que estão em processo de recuperação da doença, precisam manter alguns cuidados básicos para evitar complicações no quadro da doença, tais como:

  • Repouso
  • Reposição de líquidos
  • Uso adequado dos medicamentos

Perguntas frequentes

Onde é possível encontrar a vacina contra a febre amarela?

A vacina contra a doença é possível ser encontrada nas unidades de saúde da sua região, como: postos de saúde e hospitais especializados em infectologia e epidemiologia. É possível você consultar os postos autorizados a distribuírem as vacinas visitando o site da Secretaria da Saúde do seu estado.

Como funciona a vacina contra a febre amarela?

A vacina da febre amarela é produzida a partir de uma partícula atenuada do vírus, e é aplicada no braço dos pacientes através de seringas. O efeito da vacina começa a vigorar a partir do décimo dia após a vacinação. Com a vacinação, o organismo é estimulado a criar uma proteção contra o vírus.

Quem não deve tomar a vacina contra a febre amarela?

A vacina da febre amarela, é contraindicada para gestantes, mulheres que estão amamentando ou crianças com idade igual ou inferior a seis meses. Nos casos de pacientes que sofrem com imunodepressões, como portadores de doenças crônicas ou oncológicas, também devem se abster da vacinação.

O que é a dose fracionada da vacina contra a febre amarela?

A dose fracionada da vacina, consiste em uma fração, mais exatamente 1/5, da vacina padrão que é utilizada na vacinação. A diferença principal entre ambas, é que a vacina padrão tem uma durabilidade vitalícia, enquanto a dose fracionada tem um período útil de nove anos.

Quantas doses da vacina são necessárias tomar?

De acordo com as novas regras, os pacientes que receberam a vacina padrão contra a doença, não precisam se submeter a uma revacinação independente do tempo em que foi vacinado. Será necessária a revacinação apenas de pessoas que receberam a vacinação fracionada ou crianças com idade entre nove meses e cinco anos.

Quais reações da a vacina da febre amarela pode dar?

Em linhas gerais, a vacina não produz efeitos adversos no organismo vacinado. Porém, é possível que o vacinado tenha febre, sinta dor de cabeça ou dor no local da vacina.

Prevenção contra a febre amarela

A forma mais disseminada de prevenção contra a doença é a vacinação das pessoas que vivem em áreas onde existe a endemia, ou que irão ou estiveram em regiões com indícios da enfermidade. Segundo a Organização Mundial da Saúde, a vacinação é forma mais importante de se controlar a doença, mesmo em regiões onde existe a disseminação do vírus, sendo necessário que pelo menos 80% da população esteja vacinada.

Confira as faixas etárias de vacinação:

  • Crianças de 6 meses a 9 meses de idade incompletos: é indicado em casos de emergência da epidemia ou em casos onde existe viagem inadiável para lugares onde existe o risco de contrair a doença.
  • Crianças de 9 meses a 4 anos de idade: é necessário tomar a segunda dose da vacina as crianças maiores de 4 anos de idade e menores de 5.
  • Crianças a partir de 5 anos de idade: nos casos das crianças maiores de 5 anos de idade, é necessário repetir a dose. Caso a criança nunca tenha sido vacinada, é necessário tomar a dose e repeti-la após 10 anos.
  • Nos casos de idosos que nunca tomaram a vacina, o médico deve avaliar o quadro de riscos em sujeitar o indivíduo à vacinação.
  • Para as gestantes e lactantes, a vacinação é contraindicada.

O que fazer para evitar a febre amarela?

A transmissão da febre amarela é feita exclusivamente através de mosquitos, assim, a maneira mais eficaz de se evitar a doença é evitando tornar o ambiente em que se vive propício para a reprodução do vetor.

Nos casos onde se vai viajar para outros lugares, o mais recomendável é procurar as unidades de saúde para conferir o cartão de vacinas e se imunizar contra a doença.

Controle do Aedes aegypti

febre amarela

O mosquito Aedes aegypti é o responsável pela transmissão da febre amarela em ambientes urbanos, assim, é crucial impedir a disseminação do vetor. Confira algumas das medidas que podem ser adotadas para evitar a proliferação do transmissor:

Evite o acúmulo de água

A reprodução do mosquito ocorre unicamente em ambiente quente com água parada. Evitar água parada é um passo fundamental para evitar a manifestação do transmissor.

Coloque areia nos vasos das plantas

A utilização de pratos nos vasos de plantas pode possibilitar o acúmulo de água. É recomendável que se coloque areia nesses pratos para evitar a água parada.

Limpe as calhas

O mosquito consegue se reproduzir nos lugares mais adversos onde existe água parada, devido a isso, é necessário averiguar locais como: calhas, canos, caixas d’água com frequência para se evitar a reprodução do mosquito.

Coloque tela nas janelas

Essa dica é crucial para as pessoas que vivem próximas a terrenos baldios. Isso porque muitas vezes esses terrenos acumulam lixos que contém alguma embalagem onde é possível reter água da chuva e assim ser ideal para a reprodução do mosquito. Com telas nas janelas, os mosquitos são impedidos de invadir a sua residência, diminuindo as chances de transmissão.

Lagos caseiros e aquários

Piscinas, aquários e pequenos lagos caseiros são ambientes propícios para a reprodução do mosquito. Assim, uma dica importante é sempre manter esses ambientes limpos, ou adotar peixes como uma opção de manter a água sempre livre de larvas.

Seja consciente com seu lixo

Como dito anteriormente, lixo parado é passível de reter água da chuva e assim ser o ambiente ideal para a reprodução do mosquito. Dessa forma, descartar da maneira correta o seu lixo é crucial para evitar a reprodução do transmissor.

Uso de inseticidas e larvicidas

Um dos principais aliados na hora de combater o vetor da febre amarela, é o uso de inseticidas e larvicidas. Os inseticidas são muito comuns e bastante utilizados para reter pragas como o próprio Aedes aegypti, pernilongos e muitos outros. O larvicida é utilizado em locais onde existe água parada, evitando que o mosquito utilize a água para a sua reprodução.

Uso de repelente

Sem dúvidas uma das formas mais disseminadas de evitar o contato com o mosquito, é utilizando repelentes, que tem uma durabilidade excelente no corpo. É muito indicado para pessoas que vão viajar ou que vivem em regiões onde existe o risco de contaminação da população pelo transmissor.

Deixe uma resposta