Endometriose: o que é, tratamento, sintomas e tudo sobre


COMPARTILHE AGORA MESMO

A Endometriose é um problema causado quando a mucosa que reveste a parede interna do útero, conhecida como endométrio, cresce em outras regiões do corpo. Esse tipo de crescimento fora do local natural pode causar desconfortos e ocasionar problemas de saúde, sendo os principais sintomas dores no período menstrual, infertilidade e ainda dores fortes no momento da penetração em relações sexuais.

Mesmo que seja um problema um tanto inusitado para quem não conhece bem como o corpo funciona nessa região, ele é bastante comum e se apresenta em diversas pessoas com idade entre 25 e 35 anos, ou até mesmo após a primeira menstruação. O problema tem tratamento específico, mas pode gerar uma série de complicações de saúde até que seja devidamente tratado.

Endometriose

Endometriose e a infertilidade

Quanto à relação entre endometriose e infertilidade é possível dizer, de acordo com dados estatísticos, que de todas as mulheres com endometriose cerca de 50% terão problemas com a geração de filhos, sofrendo com infertilidade. O principal fator que faz com que a infertilidade seja possível nas mulheres com endometriose é o aparecimento dessa mucosa na região das tubas uterinas, fazendo com que essa região seja danificada e tenha o processo de transporte de óvulos e espermatozóides impedidos, causando a infertilidade.

Tipos

Endometriose superficial

Um dos tipos de Endometriose é a superficial, que ocorre atingindo mais o peritônio, que é o tecido que recobre a parte interna dos órgãos na cavidade abdominal e pelve.

Endometriose profunda

A Endometriose profunda ocorre quando a doença se apresenta de forma mais avançada, trazendo a mucosa em regiões fora do normal com espessura de até cinco milímetros, e em alguns casos até mais. Esse é o caso da Endometriose septo-vaginal, que acontece no tecido que faz a divisão entre o reto e a vagina.

Endometriose de parede

Outro tipo é a Endometriose de parede, que ocorre formando nódulos que são bastante doloridos, principalmente no período menstrual, surgindo na região da parede abdominal que fica localizada bem próxima ao umbigo.

Endometriose pulmonar

Por fim, o último tipo de Endometriose é a pulmonar, sendo a forma mais rara da doença. Ele se apresenta nesse órgão devido a sua locomoção ser possibilitada pelas veias, chegando ao pulmão e se instalando por lá. O principal sintoma desse tipo de Endometriose é o sangramento nas vias aéreas durante o período menstrual, normalmente durante acessos de tosse.

Causas da Endometriose

Todos os meses, quando há o início do período menstrual, o corpo da mulher é incentivado a produzir o aumento das células da mucosa do útero, fazendo com que o corpo aumente a quantidade de células e ainda o tamanho, a fim de que ele esteja preparado para receber uma possível ovulação que venha a surgir. Se essas células endometriais crescerem fora da parede do útero surge o problema da Endometriose. As células formadas pela mucosa que ficam dentro do útero são expelidas com a menstruação, mas as que se formam fora do útero permanecem por lá e começam a crescer e se desenvolver nesses espaços.

Mesmo que as causas para o problema ainda não tenham sido de fato diagnosticadas, é compreendido que elas são ocasionadas devido o crescimento de células embrionárias que revestem a região das cavidades pélvicas e o abdômen, pelo sistema imunológico deficiente, pela menstruação desregulada e ainda por outras causas, como a cesariana e histerectomia, que podem chegar a influenciar o surgimento desse problema no corpo.

Fatores de risco

Os fatores que agravam a doença e que podem favorecer o seu surgimento são:

  • Menstruação precoce
  • Nunca ter tido filhos
  • Menstruação com ciclos frequentes
  • Anormalidades na região do útero
  • Hímen Perfurado
  • Menstruações que duram muito

Sintomas

Os principais sintomas que se apresentam em qualquer caso de Endometriose são:

  • Dores no período menstrual
  • Infertilidade
  • Fadiga
  • Diarréia
  • Dores no momento da penetração no ato sexual
  • Dores ao evacuar e urinar
  • Cólicas frequentes, que duram cerca de uma a duas semanas, antes da menstruação

Buscando auxílio médico

É necessário, após notar qualquer um dos sintomas da doença, ir à busca de auxilio médico para o tratamento do problema causado pela Endometriose, pois ele pode chegar a ocasionar o surgimento de diversas outras complicações de saúde que comprometem atividades corporais normais e necessárias, com o passar do tempo. Na consulta médica é preciso contar tudo o que sabe sobre o seu corpo em relação ao problema, quais os sintomas sentidos, as dores eventuais, entre outros, respondendo a cada pergunta feita com o máximo de precisão possível. Os médicos recomendados para a realização da consulta são o Clínico Geral e o Ginecologista.

Exames, tratamentos e medicação

Os principais exames feitos para ter o diagnóstico completo da doença podem ser o exame pélvico com o toque vaginal e retal onde o médico investiga a área a procura de anormalidades, a ultrassom que permite e análise de imagem com precisão da área pélvica e região, a ressonância magnética que confere a detecção da presença de cistos endometrióticos e complicações da mesma natureza e ainda a Laparoscopia, que é um procedimento mais complexo e avançado que usa imagens para detectar o problema.

Os tratamentos adotados para lidar com o problema da Endometriose são o uso de medicamentos que controlam a dor e amenizar o problema, cirurgias para retirada das áreas afetadas e ainda histerectomia, com a retirada dos dois ovários. Para escolher o tratamento o médico observa a idade do paciente, gravidade dos sintomas, gravidade da doença e ainda se a mulher deseja ter filhos algum dia. Outro método é por meio do uso de anticoncepcionais.

Endometriose tem cura?

A Endometriose não tem uma cura específica, mas através do tratamento adequado de acordo com a recomendação do profissional da saúde especializado no assunto que lhe acompanha, é possível tratar o problema e fica livre dele por um bom tempo. Para fazer com que a Endometriose seja tratada de forma total é preciso usar a histerectomia, que tira a raiz do problema e faz com que no futuro ele seja erradicado de vez naquela pessoa. Mas, é preciso sempre levar em conta as recomendações médicas no tratamento, usando a medicação passada pelo profissional e fazendo todos os procedimentos necessários.

Convivendo com a Endometriose

Para conviver com a Endometriose é preciso levar em consideração uma série de cuidados:

  • Tomar banhos quentes e usar bolsas de água quente para ajudar no relaxamento da região pélvica, contribuindo para que os músculos da região sejam relaxados e a dor no local seja reduzida
  • Uso de analgésicos de acordo com a recomendação do médico que faz o acompanhamento
  • Fazer exercícios físicos com frequência, a fim de que os sintomas sejam amenizados devido a prática de um estilo de vida mais saudável

Prevenindo a Endometriose

Não existe uma forma específica de fazer a prevenção do problema da Endometriose. É recomendado apenas manter hábitos saudáveis de vida, com dieta equilibrada, sono regulado, prática frequente de exercícios físicos e ainda evitar picos de estresse. Com essas medidas o problema pode ser, de certa forma, evitado em partes, mas se surgir deve ser imediatamente tratado para não ocasionar doenças mais sérias e, até mesmo, a infertilidade.

Deixe uma resposta